Make your own free website on Tripod.com
PROGRAMA V

ROTEIRO 4

FLUIDOS E PERISPÍRITO
PERISPÍRITO: FORMAÇÃO, PROPRIEDADES, FUNÇÕES 1ª PARTE.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Esclarecer como se realiza a formação do perispírito
Citar as propriedades conhecidas do perispírito
Dizer porque é variável a constituição do perispírito;:

IDÉIAS BÁSICAS
O perispírito ou corpo fluídico dos Espíritos, é um dos mais importantes produtos do fluido cósmico, é uma condensação desse fluido em torno de um foco de inteligência ou alma (...) No perispírito, a transformação molecular se opera diferentemente, porquanto o fluido conserva a sua imponderabilidade e suas qualidades etéreas.(...)" (01)
"O perispírito serve de intermediário ao Espírito e ao corpo. ~ o órgão (veiculo) de transmissão de todas as sensações (...)". (05)
"Por meio do perispírito é que os Espíritos atuam sobre a meteria inerte e produzem os diversos fenômenos mediúnicos (...)". (06)
"Por sua natureza e em seu estado normal, o perispírito é invisível, (...). Outra propriedade do perispírito, (...), é a penetrabilidade.(...)" (07)
"Do meio onde se encontra é que o Espirito extrai o seu perispírito, isto é, esse envoltório ele o forma dos fluidos ambientes.(...)" (02)
"A natureza do envoltório fluídico está sempre em relação com o grau de adiantamento moral do Espirito.(...)" (03)
~ " (...) Conforme seja mais ou menos depurado o Espírito, seu perispírito se formará das partes mais puras ou das mais grosseiras do fluido peculiar do mundo onde se encarna" (04)

FONTES DE CONSULTA

BÁSICAS
01. KARDEC, Allan, Formação e propriedades do perispírito. In:- . A Gênese. Trad. de Guillon Ribeiro, 25. ed. Rio de Janeiro, FEB, 198-2, item 07.
02. Op. cit., item 08, p. 277.
03. Op. cit., item 09, p. 278.
04. Op. cit., item 10, p. 279.
05. KARDEC, Allan. O perispírito como principio das :manifestações. In:- . Obras Póstumas. Trad. de Guillon Ribeiro, 16 ed. Rio de Janeiro, - FEB, 1977. item 10, primeira parte, p, 45
06. Op. cit., item 13, p. 46.
07. Op. cit., item 16, p. 47.

1A PARTE
O perispírito, ou corpo fluídico dos Espíritos, é uma condensação do fluido cósmico em torno da alma; o corpo carnal resulta de uma maior condensação do mesmo elemento, que o transforma em matéria tangível.
Embora tenham origem comum, no mesmo elemento primitivo, as transformações moleculares são diferentes nesses dois corpos, dai resultando ser o perispírito imponderável e dotado de qualidades etéreas. Ambos são matéria, mas em estados diversos. (01)
O Espírito forma seu envoltório perispirítico com os fluidos retirados do ambiente onde vive. Como a natureza: dos mundos varia com seu grau de evolução, será maior ou menor a materialidade dos corpos físicos de seus habitantes, e os perispíritos guardam relação, quanto à sua composição, com esse grau de materialidade. Admitindo-se que um Espírito emigre da Terra, aí fica seu envoltório fluídico e toma, no mundo físico onde aportar, um outro apropriado ao novo meio (02)
"A natureza do envoltório fluídico está sempre em relação com o grau de adiantamento moral do Espirito(...)" (03)
A condição moral do Espírito corresponde, por assim dizer, uma determinada densidade do perispírito. Maior elevação,. menor densidade fluídica. Maior inferioridade, maior densidade isto é, perispírito mais grosseiro, com maior condensação fluídica. É claro que mesmo os envoltórios fluídicos mais grosseiros permanecem imponderáveis. Mas, dentro da relatividade das coisas, pode-se admitir um peso específico para o envoltório perispirítico. Os de maior peso específico chumbam os Espíritos as regiões inferiores, impossibilitando-lhes o acesso a planos mais elevados e, por isso mesmo, a saída para mundos mais elevados. A acentuada densidade do perispírito de grande número de Espíritos leva-os a confundi-lo com o corpo físico.
Por isso, consideram-se ainda encarnados;, e vivem, na Terra, imaginando-se entregues a ocupações que lhes eram habituais.
Os perispíritos dos Espíritos superiores, de reduzido peso específico, lhes conferem uma leveza que lhes permite viver nos planos elevados assim como o seu deslocamento a outros mundos. É claro que tais Espíritos podem descer aos planos inferiores e, normalmente, dada a sutileza de seu envoltórios, não são percebidos pelas entidades inferiores.
Quando encarnado, o Espírito mantém seu envoltório perispirítico, constituindo-lhe o corpo carnal, por conseguinte, um segundo envoltório, mais grosseiro, apropriado ao meio físico onde vive suas experiências .
O perispírito, nessa situação, "~...) serve de intermediário ao Espirito e ao corpo. É o órgão de transmissão de todas as sensações (...)" (05) quer partam do Espirito, quer venham do exterior, através do corpo físico.
Dado ao estado grosseiro da matéria, os Espíritos não pedem agir diretamente sobre ela. Têm de faze-lo através de seu perispírito. "Por meio do perispírito é que os Espíritos atuam sobre a matéria inerte e produzem os diversos fenômenos mediúnicos.(...)" (06)
Os fluidos perispirítico se constituem, sob a ação da, vontade dos Espíritos, em verdadeiras alavancas que lhos permitem produzir pancadas, ruídos, deslocamentos de objetos, etc.
Em condições normais, o perispírito é invisível, mas, em razão de modificações que venha a experimentar, pela ação da vontade do Espirito, pode tornar-se visível. Essas modificações consistem numa espécie de condensação ou em novos arranjos das moléculas que compõem esse envoltório fluídico. O aparecimento de um Espirito resulta de seu propósito de se fazer visível. Mas não basta desejar essa visibilidade para obte-la: a modificação do perispírito requer a existência de certas circunstancias que não dependem do Espírito; este necessita de permissão, que nem sempre lhe é dada, para mostrar-se a alguém. (07)
Nas aparições, o perispírito se mostra mais ou menos consistente. Comumente se apresenta com aspecto vaporoso e diáfano. De outras vezes, fá-lo com as formas delineadas, com os traços bem nítidos. Neste último caso, pode ate apresentar a solidez de um corpo físico, sendo, por isso mesmo, tangível, o que não lhe impede de retomar instantaneamente o estado normal de invisibilidade e etéreo.
A matéria não constitui obstáculo ao perispírito. A sua condição etérea confere-lhe a propriedade de penetrabilidade. Ele atravessa a matéria como a luz aos corpos transparentes. ~ por isso que portas e janelas fechadas de uma sala qualquer não impede a penetração, ali, de um Espirito. (07)
Como já foi dito, das camadas dos fluidos espirituais que envolvem. a Terra, tiram os Espíritos, que ali vivem, os seus envoltórios perispirítico. Esses fluidos não são homogêneos: uma mistura de moléculas de várias qualidades, umas mais puras outras menos paras. Os efeitos que produzem. guardam relação com a quantidade das partes puras que eles contem. "(...)
Conforme seja mais ou menos depurado o Espírito, seu perispírito se formará das partes mais puras ou das mais grosseiras do fluído peculiar ao mundo onde ele se encarna (...) " O Espírito atrai as moléculas que se afinam com seu padrão vibratório.
Como conseqüência, "a constituição intima do perispírito não é idêntica em todos os Espíritos encarnados ou desencarnados que povoam a Terra ou o espaço que a circunda " (04), o que não ocorre com o corpo carnal, que é formado pelos mesmos elementos, independentemente da maior ou menor elevação dos Espíritos que o revestem. Outra decorrência da forma de composição do perispírito: "(...) o envoltório perispirítico de um espírito s modifica com o progresso moral que este realiza em cada encarnação, embora ele encarne no mesmo meio; (...) os Espíritos superiores, encarnando, excepcionalmente, em missão, num mundo inferior, têm perispírito menos grosseiro do que o dos indígenas desse mundo "(04)

ANEXO
AVALIAÇÃO DO PAINEL

Munido do presente roteiro, o grupo deverá observar o seguinte:
01. Foi satisfatória a explanação dos painelistas?
02. Permaneceram duvidas em relação ao assunto tratado? Quais?
03. A técnica de idéias entre os painelistas foi clara?
04. Suscitou interesse do grupo?
05. Quais os pontos importantes que não foram abordados?