Make your own free website on Tripod.com
PROGRAMA V

ROTEIRO 10

INTERVENÇÃO DOS ESPÍRITOS NO MUNDO CORPORAL
ESPÍRITOS PROTETORES

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Dar a diferença existente entre Espíritos protetores, familiares, simpáticos e perversos.
Conceituar "anjo " do ponto de vista espirita.
Dizer em que situação o Espírito protetor pode afastar-se do seu protegido.

IDÉIAS PRINCIPAIS
t'~...) O Espírito protetor, anjo de guarda, ou bom gênio é o que tem por missão acompanhar o homem na vida e ajudá-lo a progredir. E sempre de natureza superior, com relação ao seu protegido.
Os Espíritos familiares se ligam a certas pessoas por laços mais ou menos duráveis, com o fim de lhos serem úteis, dentro dos limites do poder, quase sempre muito restrito, de que dispõem. São bons, porem muitas vezes pouco adiantados e mesmo um tanto levianos.(...)
Os Espíritos simpáticos são os que se sentem atraídos para o nosso lado por afeições particulares e ainda por uma certa semelhança de gostos e de sentimentos, tanto para o bem como para o mal (...)
O mau gênio é um Espírito imperfeito ou perverso, que se liga ao homem para desvia-lo do bem. Obra, porem, por impulso próprio e não no desempenho de missão.(...) " (01)
"~.. ) Os anjos são, (...), as almas dos homens chegados ao grau de perfeição que a criatura comporta, fluindo em sua plenitude a prometida felicidade.(...) " (03) São os puros Espíritos.
O Espirito protetor afasta-se do seu protegido "(...) quando vê que seus conselhos são inúteis e que mais forte e, no seu protegido, a decisão de submeter-se à influencia dos Espíritos inferiores. Mas, não o abandona completamente e sempre se faz ouvir.(...) O protetor volta desde que este o chame (...)." (02)

FONTES DE CONSULTA

BÁSICAS
01. KARDEC, Allan. Anjos da Guarda. Espíritos protetores, familiares ou simpáticos. In: -. O Livro dos Espíritos, trad. de Guillon Ribeiro, 57. ed. Rio de Janeiro, -FEB, 1983. Questão 514.
02. Op. cit., questão 491.
03. Op. cit., questão 492.
04. Op. cit., questão 495.
05. -. Os anjos segundo o Espiritismo. In:-. O Céu e o Inferno. Trad. de Manuel Justiniano Quintão, 29. ed. Rio de Janeiro, FEB, 1982. 1ª parte, capítulo 08, item 13.

ESPÍRITOS PROTETORES
A ninguém deixa Deus de auxiliar e amparar! Não existe orfandade em parte alguma do Universo. Onde e como estivermos existem Espíritos a nos orientar: São os Espíritos protetores.
A proteção desses Espíritos se manifesta de acordo com a hierarquia espiritual ocupadas por eles. Basicamente, e a seguinte:
a) "( ) Espirito protetor, anjo da guarda, ou bom gênio é o que tem por missão acompanhar o homem na vida e ajudá-lo a progredir. É sempre de natureza superior, com relação ao protegido (...)". (01)
A missão do Espirito protetor, ou anjo guardião, é "(...) a de um pai com relação aos filhos; a de guiar o seu protegido pela senda do bem, auxiliá-lo com seus conselhos, consolá-lo nas suas aflições, levantar-lhe o ânimo nas provas da vida '. (02) O Espirito protetor se dedica ao protegido "(...) desde o nascimento até a morte e muitas vezes o acompanha na vida espirita, depois da morte, e mesmo através de muitas existências corpóreas, que mais não são do que fases curtíssimas da vida do Espírito". (03)
b) "( ) Os Espíritos familiares se ligam a certas pessoas por laços mais ou menos duráveis, com o fim de lhes serem úteis, dentro dos limites do poder, quase sempre muito restrito, de que dispõem. São bons, porém muitas vezes pouco adiantados e mesmo um tanto levianos. Ocupam-se de boamente com as particularidades da vida intima e só atuam por ordem ou com permissão dos Espíritos protetores (...)" (01)
c) "( ) Os Espíritos simpáticos são os que se sentem atraídos para o nosso lado por afeições particulares e ainda por uma certa semelhança de gostos e de sentimentos, tanto para o bem como para o mal. De ordinário, a duração de suas relações se acha subordinada às circunstancias (...)". (01)
d) "( ) O mau gênio e um Espírito imperfeito ou perverso, que se liga ao homem para desviá-lo do bem. Obra, porem, por impulso próprio e não no desempenho de missão. A tenacidade da sua ação está era relação direta com a maior ou menor facilidade de acesso que encontre por parte do homem, que goza sempre da liberdade de escutar-lhe a ,voz ou de lhe cerrar os ouvidos." (01)
Devemos, ainda, compreender o significado espirita de anjo, que é diverso daquele dado por várias seitas religiosas, que o representam como uma figura distante da realidade da vida, geralmente envergando túnica alvíssima, aureolado de luminosidade, possuidor de duas enormes asas e que vive em beatitude no céu. Para o Espiritismo "(...) os anjos são, pois, as almas dos homens chegados ao grau de perfeição que a criatura comporta, fruindo em sua plenitude a prometida felicidade. Antes, porem, de atingir o grau supremo, gozam de felicidade relativa ao seu adiantamento, felicidade que consiste, não na ociosidade, mas nas funções que a Deus apraz confiar-lhes, e por cujo desempenho se sentem ditosos, tendo ainda nele um meio de progresso". (05)
Um Espirito protetor poderá, em determinadas circunstâncias, afastar-se do protegido: "(...) Afasta-se, quando vê que seus conselhos são inúteis e que mais forte é, no seu protegido, a decisão de submeter-se à influência dos Espíritos inferiores. Mas, não o abandona completamente e sempre se faz ouvir. É então o homem quem tapa os ouvidos. O protetor volta desde que este o chame (...)" (04)
A certeza da existência de protetores espirituais a velar-nos os passos, amparando-nos nas dificuldades próprias da evolução' iluminando-nos a mente e o coração na longa estrada da vida, sustentando-nos nos momentos amargos, quando a dor nos visita, animando-nos ante as provas da vida, partilhando das nossas alegrias e rejubilando-se com o nosso progresso moral, é algo grandemente consolador, que nos mostra, mais uma vez, o imenso amor do Pai Celestial para com todos os seus filhos.

A N E X O PROGRAMA V - ROTEIRO N º 10

Após dividir a turma em três grupos de estudo, colocar à disposição deles as obras espiritas já citadas, distribuindo o trabalho da seguinte maneira:
Grupo 01 - Leitura e comentários dos itens: "Meu Espírito protetor" e "Meu Guia espiritual", constantes em Obras Póstumas, 2a parte.
Grupo 02 - Leitura e comentários do item 11, do capítulo 28, de O Evangelho Segundo o Espiritismo.
Grupo 03 - Leitura e comentários das questões 490 a 499 e a questão 514 de O Livro dos Espíritos.
A seguir, os grupos deverão responder às seguintes perguntas:
1) Qual a principal diferença que há entre anjo da guarda, Espíritos familiares, simpáticos e sedutores ou perversos?
2) Um Espirito para tornar-se guardião de outro deve possuir determinadas qualidades. Quais são elas?
3) Orando aos Espíritos protetores devemos pedir-lhas, sobretudo, o quê?
4) Que devemos fazer para granjear a benevolência dos Espíritos Superiores que nos protegem?
5) O nosso Espírito guardião está constantemente ao nosso lado? Justifique?
6) Podem os anjos guardiães afastarem-se dos seus protegidos? Por quê?