Make your own free website on Tripod.com
PROGRAMA V

ROTEIRO 13

O FENÔMENO DA INTERCOMUNICAÇÃO MEDIÚNICA
O mecanismo das comunicações: condições técnicas, afinidades e sintonia

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Analisar qual a grande dificuldade nas comunicações espiritas.
Relacionar as principais condições técnicas para o bom êxito do trabalho mediúnico.
Destacar o papel das afinidades e sintonias mediúnicas.

IDÉIAS PRINCIPAIS
"( ) Nas comunicações espiritas a dificuldade(, ) consiste em harmonizar vibrações e pensamentos diferentes. É na combinação das forças psíquicas e dos pensamentos entre os médiuns e os experimentadores, de um lado,, e entre estes e os Espíritos, do outro, que reside inteiramente a lei das manifestações (...)." (06)
O silêncio e o recolhimento são condições essenciais para todas as comunicações serias (...)." (01)
"(...) Todo médium, (...) deve (...) aceitar agradecido, solicitar mesmo o exame crítico das comunicações que receba (...)." (02)
Num grupo mediúnico sério, os médiuns devem buscar afinidade moral "(...) com os Espíritos virtuosos, porque este e o único meio de gozarmos de seus favores (...) '' (08)
Os médiuns devem compreender que "(...) não podem servir de instrumento a todos os Espíritos, indistintamente. As manifestações dos Espíritos são reguladas pela lei de afinidade fluídica (...)." (09)
"(...) Todos somos instrumentos das forças com as quais estamos em sintonia (...)." (10)
'(...) Cada criatura (...) emite raios específicos e vive na onda espiritual com que se identifica (...)." (10)

FONTES DE CONSULTA

BÁSICAS
01. KARDEC, Allan. Dissertações Espiritas. In: -. O Livro dos Médiuns. Trad. de Guillon Ribeiro. 41. ed. Rio de Janeiro, FEB, 1979. Item 23, p. 463.
02. -. O Livro dos Médiuns. Trad. de Guillon Ribeiro. 41. ed. Rio de Janeiro, FEB, 1979. Item ~29, p. 417.
03. -. Manifestações dos Espíritos - Caráter e conseqüências religiosas das manifestações dos Espíritos. §6° Dos Médiuns. In:-. Obras Póstumas. Trad. de Guillon Ribeiro 13. ed. Rio de Janeiro, FEB, 1973. Item 33, p. 57.
04. Op. cit., item 34, p. 57.
05. Op. cit., item 35, p. 58.

COMPLEMENTARES
06. DENIS, Léon. As Leis da Comunicação espirita, In: - . No Invisível. Trad. de Leopoldo Cirne. 7. ed. Rio de Janeiro, FEB, 1973. p. 84.
07. Op. cit.- Condições de experimentação, p. 89.
08. RIGONATTI, Eliseu. A Lei da afinidade moral. In:-. A Mediunidade sem lágrimas. 5. ed. São Paulo, LAKE, 1966, p. 34.
09. Op. cit.- A Lei da afinidade fluídica, p. 46 e 47.
10. XAVIER, Francisco Cândido. Raios, Ondas, Médiuns, Mentes...In: - Nos Domínios da Mediunidade. Pelo Espírito André Luiz. 9. ed. Rio de Janeiro, FEB, 1979, p. 11.
11. Op. cit.- Estudando a Mediunidade , p. 1 5.
12. Op. cit., p. 16 e 17.

"Médiuns são pessoas aptas a sentir a influência dos Espíritos e a transmitir os pensamentos destes (...).
Essa faculdade é inerente ao homem. (...), donde segue que poucos são os que não possuem um rudimento de tal faculdade (...)." (03)
"O fluido perispirítico e o agente de todos os fenômenos espíritas, que só se podem produzir pela ação reciproca dos fluidos que emitem o médium e o Espirito. O desenvolvimento da faculdade mediúnica depende da natureza mais ou menos expansiva do perispírito do médium e da maior ou menor facilidade da sua assimilação pelo dos Espíritos; depende, portanto, do organismo e pode ser desenvolvida quando exista o principio (...). A predisposição mediúnica independe do sexo, da idade e do temperamento (...)." (04)
"As relações entre os Espíritos e os médiuns se estabelecem por meio dos respectivos perispírito, dependendo a facilidade dessas relações do grau de afinidade existente entre os dois fluidos (...)." (05)
No entanto, "(...) precisamos considerar que a mente permanece na base de todos os fenômenos mediúnicos (...)." (11)
"(...) Cada alma se envolve no circulo de forças vivas que lhe transpiram do hálito mental, na esfera de criaturas a que se imana, em obediência às suas necessidades de ajuste ou crescimento para a imortalidade (...).
Agimos e reagimos uns sobre os outros, através da energia mental em que nos renovamos constantemente, criando, alimentando e destruindo formas e situações, paisagens e coisas, na estruturação dos nossos destinos (...)." (12)
"(...) Entre um determinado Espirito e um médium pode haver afinidade fluídica e não haver afinidade moral e pode haver afinidade moral e não haver afinidade fluídica. A afinidade fluídica depende da constituição do organismo espiritual do médium e da do Espírito. A afinidade moral é a conseqüência do adiantamento alcançado pelo médium e pelo Espirito (...)~" (09)
Na prática mediúnica existem algumas dificuldades que na medida do possível devemos buscar sanar, senão minimizar. Entre elas destacamos a falta de estudo, deficiência de iluminação moral, escassez de perseverança, ausência de assiduidade, impaciência etc. Isto pode gerar uma grande dificuldade: "(...) a de harmonizar vibrações e pensamentos diferentes. É na combinação das forças psíquicas e dos pensamentos entre os médiuns e os experimentadores, de um lado, e entre estes e os Espíritos, do outro, que reside inteiramente a lei das manifestações.
São favoráveis as condições de experimentação quando o médium e os assistentes constituem. um grupo harmônico (...)." (06)
"(...) Muitas vezes, porem, a ausência de método, a falta de continuidade e direção nas experiências tornam estéreis a boa - vontade dos médiuns e as legitimas aspirações dos investigadores (...)." (07)
As comunicações devem ser analisadas rigorosamente e "(...) todo médium (...), deve (...) aceitar agradecido, solicitar mesmo o exame critico das comunicações que recebe (...)," (02)
Outra coisa que favorece o bom êxito das reuniões mediúnicas e "o silêncio e o recolhimento (...)." (01)
Em resumo, um trabalho mediúnico produtivo deve primar pelo estudo, esforço de melhoria moral, perseverança, humildade, assiduidade, disciplina, por parte dos encarnados, e exercido num ambiente de silencio, prece, recolhimento e seriedade visando ao bem estar e à melhoria espiritual do próximo.
 

A N E X O
INSTRUÇÕES PARA O TRABALHO EM GRUPO

As equipes que trabalharão com a obra de André Luiz, psicografia de Francisco Cândido Xavier, Nos Domínios da Mediunidade, páginas 15 a 20, capitulo 1, 9. edição' FEB, 1979, deverão fazer o seguinte:
a) Ler reflexivamente e comentar o texto lido;
b) Responder por que a mente é a base de todos os fenômenos mediúnicos;
c) Extrair do texto o sentido de sintonia e afinidade.
d) Explicar como os seres humanos se influenciam mutuamente,
e) Deduzir por que todos os médiuns interferem nas comunicações que recebem.
As equipes que trabalharão com a obra de Allan Kardec 0 Livro dos Médiuns, capitulo 31, Dissertações Espíritas 13, 14 e 15 de Pascal, Delfina de Girardin e do Espírito de Verdade, respectivamente, farão as seguintes tarefas:
a) Ler reflexivamente e comentar os textos lidos.
b) Dizer o que é necessário para receber comunicações dos bons Espíritos
c) Dizer porque e necessária a prática da caridade aliada à prática mediúnica.
d) Explicar qual (is) a(s) razão(ões) que pode(m) levar os médiuns ao fracasso mediúnico.
e) Citar as qualidades essenciais aos médiuns, justificando a resposta.
f) Correlacionar o primeiro parágrafo da dissertação do Espírito de Verdade com o ultimo parágrafo da dissertação de Pascal.
g) Assinalar quais, dentre as dissertações lidas, foram as mais interessantes. Justificar a resposta.