Make your own free website on Tripod.com

PROGRAMA IV

ROTEIRO 15

VIDA ESPIRITA
RELAÇÕES DO ALÉM TÚMULO; SIMPATIAS E ANTlPATIAS (1ª)

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Dar a diferença entre almas gêmeas e metades eternas .
Conceituar alma gêmea.
Esclarecer por que nem sempre as almas gêmeas estão no mesmo grau evolutivo.

IDÉIAS PRINCIPAIS
"(...) A teoria das metades eternas encerra uma simples figura, representativa da união de dois Espíritos simpáticos. Trata-se de uma expressão usada ate na linguagem vulgar e que se não deve tomar ao pé da letra (...)." (03)
A tese sobre almas gêmeas "(...) é mais complexa do que pareça ao primeiro exame, e sugere mais vasta meditação (...), mesmo porque, com a expressão "almas gêmeas", não desejamos dizer "metades eternas" (...)" (10)
"(...) Criadas umas para as outras, as almas gêmeas se buscam, sempre que separadas. A união perene é-lhes a aspiração suprema e indefinível (...)". (08)
Pode ocorrer que as almas gêmeas não se encontrem no mesmo plano evolutivo. Isto porque uma delas progrediu mais que a outra. Almas criadas na mesma era, iniciando "(...) úteis peregrinações em mundos primitivos, e, depois, separadas em pontos diversos do globo terrestre, conservam, umas das outras, reminiscências indeléveis.
As vezes, não se encontram em algumas de suas jornadas terrenas quando uma delas comete delitos graves e retarda o seu cinzelamento psíquico (...)". (11)

FONTES DE CONSULTA

BÁSICAS
01 - KARDEC, Allan. - Da Vida Espírita. In: - . O Livro dos Espíritos Trad. de Guillon Ribeiro, 57. ed. Rio de Janeiro, FEB, 1983 .Parte 2ª, questão 298, p. 185.
02 - Op. cit., questão 299, p. 185.
03 - Op. cit., questão 303, p. 186.

COMPLEMENTARES.
04 - XAVIER , Francisco Cândido. Amor. União. In: - . O Consolador, pelo Espirito Emmanuel. 6. ed. Rio de Janeiro, FEB, 1976, questão 323, p. 185 e 186.
05 - Op. cit., questão 325, p. 186.
06 - Op. cit., Nota p. 233.
07 - Sacrifícios to Amor. In: - . Renuncia, pelo Espirito Emmanuel, 4. ed. Rio de Janeiro, FEB, 1958, p. 15.
08 - Op. cit., p. 25.
09 - GAMA, Zilda. Almas Gêmeas. In: . Diário dos Invisíveis, por diversos Espíritos, 2. ed. São Paulo, "O Pensamento", 1943, p.129 e 130.

RELAÇÕES DO ALÉM TÚMULO; SIMPATIAS E ANTlPATIAS (1ª)
ALMAS GÊMEAS

Ao estudarmos a teoria das almas gêmeas citaremos fontes bibliográficas para que o assunto seja
mais: profundamente analisado.
A questão 298 de O Livro dos Espíritos nos informa que "(...) não há união particular e fatal, de duas almas. A união que há e a de todos os Espíritos, mas em graus diversos, segundo a categorias que ocupam, isto é, segundo a perfeição que tenham adquirido. quanto mais perfeitos, tanto mais unidos. (...)" (01)
Devemos compreender que um Espirito não e a metade do outro ."(...) Se um Espirito fosse a metade de outro, separados os dois, estariam ambos incompletos." (02)
"(.-..) A teoria das metades eternas encerra uma simples figura, representativa da união de dois Espíritos simpáticos. Trata-se de uma expressão usada até na linguagem vulgar e que se não deve tomar ao pê da letra. (...)"-(03-)
- Referindo-se ao assunto Emmanuel nos diz, às questões -323 a 328 do livro O Consolador que: "(...) No sagrado mistério da vida, cada coração possui no Infinito a alma gêmea da sua, companheira divina para a viagem à gloriosa imortalidade.
Criadas umas para as outras, as almas gêmeas se buscam, sempre que separadas. A união perene é-lhes a aspiração suprema e indefinível. Milhares de seres, se transviados no crime ou na inconsciência, experimentam a separação das almas que os sustentam, como a provação mais ríspida e dolorosa, e, no drama das existências mais obscuras, vemos sempre a atração eterna das aluas que se amam intimamente (...)!Quando se encontram, no acervo dos trabalhos humanos, sentem-se de posse da felicidade real para os seus corações a da Ventura de sua união, (...) e a única amargura que lhes empana a alegria e a perspectiva de uma nova separação pela morte, perspectiva essa que a luz da Nova Revelação veio dissipar (...)" (04)
Não sabemos ainda esclarecer a razão da atração existente entre dois Espíritos, tornando-os almas gêmeas. "(...) Para todos nos. o primeiro instante da criação do ser está mergulhado num suave mistério, assim como também a atração profunda e inexplicável que arrasta uma alma para outra, no instituto dos trabalhos, das experiências, e das provas, no caminho infinito do Tempo (...)". (05)
Nem sempre, as almas gêmeas encontram-se no mesmo plano evolutivo. No livro Diário dos Invisíveis de Zílda Gama, o Espirito Victor Hugo nos afirma que almas criadas na mesma era, iniciando "(...) úteis peregrinações em mundos primitivos, e, depois, separadas em pontos diversos do globo terrestre, conservam, umas das outras, reminiscências indeléveis.
As vezes, não se encontram em algumas de suas jornadas terrenas - quando uma delas comete delitos graves e retarda o seu cinzelamento psíquico, outras há, porem, que, logo nos primórdios de uma existência, se reúnem e se reconhecem, fitando-se longamente, agrilhoadas, às vezes, pelo afeto de íntimo parentesco, nascidas sob o mesmo teto:
Então, na voz dos entes que vivificam, recordam um timbre familiar e muito amado. (...) Quando compreendem que se revém enfim, que os seus Espíritos foram germinados no mesmo instante, perlustraram o mesmo carreiro, tornaram-se gêmeos pelos laços perpétuos da afinidade - um júbilo intenso irradia-se nos seus íntimos qual uma alvorada espancando bruscamente as trevas de uma noite que parecia interminável...
Sim, as trevas em que jaziam antes de se reverem, pois as almas isoladas, incompreendidas, enquanto lhes falta a consócia que as deixou mutiladas, o lúcido fragmento que as integra por um consórcio celeste - o Amor, o vinculo estelífero que as torna inseparáveis por toda consumação dos séculos - ficam imersas em penumbra, asfixiadas em desalento, envoltas em brumas polares... (...)." (09)
Em Renuncia, obra psicografada por Francisco Cândido Xavier, o Espirito Emmanuel conta-nos a história da luminosa entidade espiritual Alcione, que se afasta, temporariamente, da elevada esfera onde residia para, entre outras coisas, auxiliar sua alma gêmea Pólux que "(...) na luta consigo mesmo, as paixões subalternas sempre saiam vencedoras em sinistros triunfos (...)" (07). Alcione, renasce no planeta Terra, oriunda de "(...) portentosa esfera, inconfundível em magnificência e grandeza (...)" (08) em verdadeiros sacrifícios do amor.
A maravilhosa historia de Alcione e Pólux e o exemplo, de Espíritos evolutivamente muito distanciados um do outro, mas que, por serem almas gêmeas, mantém-se intimamente ligados.
~ importante, no entanto, que fique claro o conceito de almas gêmeas: "(...) a tese, (...), é mais complexa do que parece ao primeiro exame, e sugere mais vasta meditação às tendências do século) no capitulo do "divorcismo" e do "pansexualismo", que a ciência menos construtiva vem lançando nos Espíritos, mesmo porque, com a expressão "almas gêmeas", não desejamos dizer "metades eternas", e ninguém, a rigor, pode estribar-se no enunciado para desistir de veneráveis compromissos assumidos na escola redentora do mundo, sob a pena de aumentar os próprios débitos, com difíceis obrigações à frente da lei. (...)" (06)pressão "almas gêmeas", não desejamos dizer "metades eternas", e ninguém, a rigor, pode estribar-se no enunciado para desistir de veneráveis compromissos assumidos na escola redentora do mundo, sob a pena de aumentar os próprios débitos, com difíceis obrigações à frente da Lei. (...)" (06)

ANEXO

01. Que idéia fornece a teoria das metades eternas, analisada à luz do Espiritismo?
02. Que se deve entender por "almas gêmeas"?
03. Qual a diferença entre os conceitos de alma gêmea e metades eternas?
04. Por que a tese de almas gêmeas e mais complexa do que parece à primeira vista?
05. Por que as almas gêmeas nem sempre permanecem juntas nas realizações de tarefas ou programações espirituais?
06. As almas gêmeas possuem sempre O mesmo grau evolutivo? justifique a sua resposta.
07. Analise a afirmação de Emmanuel, citada na Síntese do Assunto: as almas gêmeas "quando se encontram, no acervo dos trabalhos humanos, sentem-se de posse da felicidade real para os seus corações - a da ventura de sua união (...)".