Make your own free website on Tripod.com
PROGRAMA VI

ROTEIRO 16

AMOR AO PRÓXIMO
AMOR MATERNO E AMOR FILIAL

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Explicar o que é amor materno e amor filial
Fazer um estudo reflexivo sobre a missão das mães na Terra
Analisar as causas da ingratidão dos filhos.

IDÉIAS PRINCIPAIS
O amor materno não é apenas uma virtude humana, mas também um sentimento instintivo, comum aos homens e aos animais. (02)
O amor filial é sinônimo de respeito, atenção, submissão, condescendência e piedade dos filhos para com os pais. (01)
"(...) A missão materna resume-se em dar sempre o amor de Deus (...)(06)
"(...) Muitos pais, despreparados para o ministério (...) em relação à prole, cometem erros graves, que influem consideravelmente no comportamento dos filhos (...)". (03)
"(...) Todavia, filhos há que (...) nutridos pelo amor sem fraude e pela abnegação sem fingimentos, e revelam-se, de cedo, frios, exigentes e ingratos. (...)" (03)

FONTES DE CONSULTA

BÁSICAS
01. KARDEC, Allan. Honrai o Vosso pai e a Vossa mãe. In: . O Evangelho Segundo o Espiritismo. Trad. de Guillon Ribeiro. 85. ed. Rio de Janeiro, FEB, 1982. Item 03, p. 243-244.
02.. Da lei de justiça, de amor e de caridade. In: . O Livro dos Espíritos. Trad. de Guillon Ribeiro. 58. ed. Rio de Janeiro, FEB, 1983, Questão 890, p. 410

COMPLEMENTARES
03. FRANCO, Divaldo Pereira. Filhos Ingratos. In: - . Após A Tempestade. Pelo Espirito Joanna de .Ângelis. 1. ed. Salvador - Bahia, Livraria Espirita "Alvorada Editora", 1974, p. 32-33.
04. . Feminismo. In:- . Luz Viva. Pelos Espíritos Joanna de Ângelis e Marco Prisco. Salvador (BA), Livraria Espirita "Alvorada" Editora, 1984, p. 55.
05.. Criança e família. In: - . Terapêutica De Emergência. Por Diversos Espíritos. Salvador (BA), Livraria Espirita "Alvorada "Editora, 1983, p. 58.
06. XAVIER, Francisco Cândido. Dever. In: - . O Consolador. Pelo Espírito Emmanuel. 11. ed. Rio de Janeiro, FEB, 1985. Questão 189, p. 114-115.
07. . Angustia materna. In:- . Luz No Lar. Por Diversos Espíritos. 3. ed. Rio de Janeiro, FEB, 1978, p. 15.
08. Op. Cit., p. 24 (No Reino Domestico).
 

AMOR MATERNO E AMOR FILIAL
"( ) O coração materno é uma taça de amor em que a vida se manifesta no mundo.

Entretanto, quão grave é o ofício da verdadeira maternidade

Levantam-se monumentos de progresso entre os homens e devemo-los, em grande parte, as mães abnegadas e justas, mas erguem-se penitenciarias sombrias e devemo-las, na mesma proporção, às mães indiferentes e criminosas. (...)" (07)
"(...) A Natureza deu à mãe o amor a seus filhos no interesse da conservação deles. No animal, porém, esse amor se limita às necessidades materiais; cessa quando desnecessário se tornam os cuidados. No homem , persiste pela vida inteira e comporta um devotamento e uma abnegação que são virtudes. Sobrevive mesmo ã morte e acompanha o filho até no além-túmulo. (...)" (02)
Daí se compreender que o amor maternal está nas leis da natureza mas, sem sombras de dúvida, a missão materna nem sempre é um mar de rosas, sendo, ao contrário, tarefa espinhosa onde a renuncia e as lágrimas fazem moradia.
Isto porque "(...) Habitualmente, renascem juntos, sob os elos da consangüinidade, aqueles que ainda não acertaram as rodas do entendimento, no carro da evolução, a fim de trabalharem com o abençoado buril da dificuldade sobre as arestas que lhes impedem a harmonia. Jungidos à máquina das convenções respeitáveis, no instituto familiar, caminham, lado a lado, sob os aguilhões da responsabilidade e convivência compulsória para sanarem velhas feridas imanifestas.
(...) Existem pais que não toleram os filhos e mães que se voltam (...) contra os próprios descendentes. Há filhos que se revelam inimigos dos progenitores e irmãos que se exterminam dentro do magnetismo degenerado da antipatia congênita (...)". (08)
A missão materna reveste assim de encargos sublimes, sobretudo nesses lares onde Espíritos antagônicos, senão inimigos, se encontram temporariamente unidos pelos laços do parentesco físico. "(...) A maternidade exige e desenvolve a sensibilidade, a ternura, a paciência, aumentando a capacidade do amor na mulher. (...)" (04)
"(...) No ambiente domestico, o coração maternal deve ser o expoente divino de toda a compreensão espiritual e de todos os sacrifícios pela paz da família.
A missão materna resume-se em dar sempre o amor de Deus (...) Nos labores do mundo, existem aquelas que se deixam levar pelo egoísmo do ambiente particularista; contudo, e preciso acordar a tempo, de modo a não viciar a fonte de ternura.
A mãe terrestre deve compreender, antes de tudo, que seus filhos, primeiramente, são filhos de Deus.
Desde a infância, deve prepará-los para o trabalho e para a luta que os esperam.
Desde os primeiros anos, deve ensinar a criança a fugir do abismo da liberdade, controlando-lhe as atitudes e consertando-lhe as posições mentais, pois que essa é a ocasião mais propícia à edificação das bases de uma vida. (...)
Ensinará a tolerância mais pura, mas não desdenhará a energia quando seja necessária.
Sacrificar-se-á de todos os modos ao seu alcance, (... ), pela paz dos filhos, ensinando-lhes que toda dor é respeitável, que todo trabalho edificante é divino, e que todo desperdício é falta grave.
Ensinar-lhes-á o respeito pelo infortúnio alheio Será ela no lar o bom conselho sem parcialidade, o estímulo do trabalho e a fonte de harmonia para todos.
Buscará na piedosa Mãe de Jesus o símbolo das virtudes cristãs (06)
Com relação ã piedade filial lembramos que "(...) o mandamento: "Honrai o vosso pai e a vossa mãe" é um corolário da lei geral de caridade e de amor ao próximo (...) ; mas o termo honrai encerra um dever a mais o da piedade filial (...).
Honrar a seu pai e a sua mãe, não consiste apenas em respeitá-los; é também assisti-los na necessidade; é proporcionar-lhes repouso na velhice; é cercá-los de cuidados como eles fizeram conosco, na infância..(...)" (01)
Basicamente, duas causas determinam a ingratidão dos filhos para com os pais: aquelas devidas às imperfeições dos filhos e aquelas outras referentes às falhas dos pais.
"(...) Com a desagregação da família, que se observa generaliza da na atualidade, a ingratidão dos filhos torna-se responsável pela presença de vários canceres morais, no combalido organismo social, cuja terapia se apresenta complexa e difícil.
Sem dúvida, muitos pais, despreparados para o ministério em relação ã prole, cometem erros graves, que influem consideravelmente no comportamento dos filhos, que, a seu turno, logo podem, se rebelam contra estes, crucificando-os nas traves ásperas da ingratidão
Muitos progenitores, igualmente, imaturos (...) que transitam no corpo açulados pelo tormento de prazeres incessantes que os fazem esquecer as responsabilidade junto aos filhos para os entregarem aos ser-vos remunerados, enquanto se corrompem na leviandade , respondem pelo desequilíbrio e desajuste da prole, na desenfreada competição da utópica e moderna sociedade.
Todavia, filhos há que receberam dos genitores as mais prolíferas demonstrações e testemunhos de sacrifício e carinho, aspirando a um clima de paz, de saúde moral, de equilíbrio doméstico, nutridos pelo amor sem fraude e pela abnegação sem fingimentos, e revelam-se, de cedo, frios exigentes e ingratos.(...)" (03)
Em suma, "(...) a família é o núcleo de maior importância no organismo social. Santuário dos pais, escola dos filhos, oficina de experiências o lar é a mola mestra que aciona a humanidade. (...)" (05)

ANEXO I
 

QUESTÕES PARA SEREM UTILIZADAS NA DISCUSSÃO CIRCULAR

01. O amor materno é uma virtude humana ou é senti mento instintivo de todos os animais?
02. Como se expressa o amor materno?
03. Quais as características do amor materno na Terra?
04. Como conciliar a missão materna com as exigências da sociedade atual?
05. Analise a afirmativa." "a mulher é o ponto de equilíbrio do lar".
06. O que se deve entender por amor filial". 07. Como evitar a desagregação da família?
08. Analise as causas que geram a ingratidão dos filhos.
09. Como manter uma família unida apesar das diferenças de caracteres dos seus membros?
10. Qual o papel do pai na educação dos filhos?