Make your own free website on Tripod.com
PROGRAMA V

ROTEIRO 23

DO MANDATO MEDIÚNICO.
CONTRADIÇÕES, MISTIFICAÇÕES E ANIMISMO 1ª PARTE.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Citar as duas fontes conhecidas de contradições sobre os ensinos espiritas. -
Realizar um estudo crítico a respeito das três categorias de adversários do Espiritismo, apontadas por Kardec.
IDÉIAS PRINCIPAIS
As contradições sobre os ensinos ditados pelos Espíritos '(..,) de duas fontes provêm: dos homens e dos Espíritos.(...)" (1)
Os adversários do Espiritismo podem ser classificados em três categorias:
'~(...) 1a _ A dos que negam sistematicamente tudo o que e novo, ou deles não venha, e que falam sem conhecimento de causa. A esta classe pertencem todos os que não admitem senão o que possa ter o testemunho dos sentidos (...). Para eles, o Espiritismo e uma quimera, u ma loucura, uma utopia, não existe: está dito tudo. São os incrédulos de caso pensado. (...).
(...) 2a _ A dos que, sabendo muito bem o que pensar da realidade dos fatos, os combatem, todavia, por motivos de interesse pessoal Para estes, o Espiritismo existe, mas lhe receiam as conseqüências. Atacam-no como a um inimigo.
3a - A dos que acham na moral espírita uma censura por demais severa aos seus atos ou às suas tendências. Tomado ao sério, o Espiritismo os embaraçaria; não o rejeitam, nem o aprovam: preferem fechar os olhos. Os primeiros são movidos pelo orgulho e pela presunção; os segundos, pela ambição; os terceiros pelo egoísmo. (...)'' (12).

FONTES DE CONSULTA.

BÁSICAS
01. KARDEC, Allan. Das contradições e mistificações. In: o Livro dos Médiuns Trad. de Guillon Ribeiro. 45. ed. Rio de Janeiro, FEB, 1982. Item 297,- p.~
02. Op. cit., item 299, p. 389.
03. Op. cit., item 301 (2a), p. 391.
04. Dos sistemas. In: _ . O Livro dos Médiuns. Trad. de Guillon Ribeiro. 45. Ed. Rio de Janeiro, FEB, 1982. Item 3~, p.~~. cit., item 37, p. 50. cit., item cit..' item cit., item cit.
05. Op. cit., item 37. P. 50
06. Op. cit., item 38, p. 50.
07. Op. cit., item 39, p. 51.
08. Op. cit., item 40, p. 52.
09. Op. cit., item 41, p. 53.
10. Op. cit., item 43, p. 55.
11. Op. cit., item 46, p. 58-62.
12. Conclusão. In: _ . O Livro dos Espíritos. Trad. de Guillon Ribeiro. 57. ed. Rio de Janeiro, FEB, 1983. Item VII, p. 487.

COMPLEMENTARES
13. DELANNE, Gabriel.: As Objeções. In: _ . O Espiritismo Perante a Ciência. Trad. de Carlos Imbassahy. Rio de Janeiro, FEB, 1939. é. 185-186
14. Cp. cit., p. 198.
15. LOMBROSO, César. Telepatia. In; _ . Hipnotismo e Mediunidade. Trad. de Almerindo Martins de Castro. 2. d. Rio de Janeiro, FEB, 1975-. p. 425.

CONTRADIÇÕES ESPÍRITAS
As contradições sobre os ensinos espíritas "(...) são, em regra, mais aparentes que reais; (...) elas quase sempre existem mais na superfície do que no fundo mesmo das coisas e que, por conseqüência, carecem de importância. De duas fontes provêm: dos homens e dos Espíritos. (01)
"Quando começaram a produzir-se os estranhos fenômenos do Espiritismo (...) sucedeu que cada um os interpretou a seu modo, de acordo com suas idéias pessoais, suas crenças ou suas prevenções. Dai muitos sistemas (...)." (4)
Os sistemas nasceram, pois, devido às contradições de origem humana.
Os adversários do Espiritismo podem ser classificados em três categorias:
t'(...) 1a _ A dos que negam sistematicamente tudo o que e novo, ou deles não venha, e que falam sem conhecimento de causa. (.~.) Para eles, o Espiritismo é uma quimera, uma loucura, uma utopia. (...) São os incrédulos de caso pensado. ( ..)
2a _ A dos que, sabendo muito bem o que pensar da realidade dos fatos, os combatem, todavia, por motivos de interesse pessoal. Para estes, o Espiritismo existe, mas lhe receiam as conseqüências.
(...)
3a. _ A dos que acham na moral espírita uma censura por de mais severa aos seus atos ou às suas tendências. (...) Os primeiros são movidos pelo orgulho e pela presunção; os segundos, pela ambição; os terceiros, pelo egoísmo. (...)" (12)
"(...) De duas espécies são os fenômenos espíritas: efeitos físicos e efeitos inteligentes. Não admitindo a existência dos Espíritos, (...) concebe-se que neguem os efeitos inteligentes. (...)" (5)
Quanto aos efeitos físicos, seus argumentos se podem resumir nos quatro sistemas seguintes:
a) - Charlatanismo - " (. ..) Todos os espiritas seriam indivíduos embaídos (*) e todos os médiuns seriam embaidores (**), de nada valendo a posição, o caráter, o saber e a honradez das pessoas. (...)" (6)
b) - Loucura - "Alguns, por condescendência, concordam em por de lado a suspeita de embuste. Pretendem então que os que não iludem são iludidos, o que eqüivale a qualificá-los de imbecis. (...) Declaram, pura e simplesmente, que os que crêem são loucos (...)." (7)
c) - Alucinação - "(...) O observador estaria de muito boa-fé; apenas julgaria ver o que não vê. (...) Viu (...) por efeito de uma espécie de miragem (...)". (8)
d) - Músculo estalante- ""(...) A causa (...) reside nas contrações voluntárias, ou involuntárias, do tendão do músculo curto-perôneo. (...)" (9)
Quanto aos adversários que admitiam a existência de uma ação inteligente nos fenômenos espíritas, uma teoria foi apresentada: o Sistema do Reflexo.
"~...) Julgou-se que (essa inteligência) bem podia ser a do médium ou a dos assistentes (...)". (10)
Cesar Lombroso comenta, a respeito: "Outras explicações se tentam para evitar a da influencia dos mortos: por exemplo, a de que o médium extrai do cérebro dos presentes as respostas aos quesitos, (...) que depois projeta no exterior (...3 "(15) Não se compreende, porem, como o médium poderia realizar tal prodígio.
Outra tentativa de explicação dos fenômenos espiritas é a do Sistema Diabólico, também chamado pessimista ou demoníaco. Consiste na crença de que só o diabo ou os demônios podem comunicar-se. (11)
"(...) Os Espíritos ensinam a fraternidade, o perdão das injurias, a mansuetude (...). Dizem-nos que o caminho único da felicidade é o do bem e que os sacrifícios agradáveis ao Senhor são os que fazemos a nós mesmos. Exortam-nos a vigiar cuidadosamente nossos atos, afim de evitar a injustiça; recomendam-nos o estudo (...) e ~ amor aos nossos semelhantes (...).
;Se são estes os processos empregados por Satã para perverter-nos, é preciso declarar que eles se assemelham estranhamente aos que Jesus empregava para reformar os homens, e o anjo das trevas conduz mal seus negócios, trazendo-nos à virtude pela austeridade que recomenda em suas comunicações. (...)" (14)
"(...) O Espiritismo tem, e verdade, muitos inimigos interessados em sua perda; de um lado, os materialistas; do outro, os sacerdotes de todas as religiões, de sorte que seus (...) partidários estão entre o martelo e a bigorna, a receber rudes golpes de todos os lados.
Os materialistas tem argumentos extraordinários; não concebem a boa fé nos seus adversários e declaram que os fenômenos espiritistas são todos devidos à mistificação ou à prestidigitação. Para esses Espíritos (...), só existem duas classes no mundo: a dos enganadores e a dos enganados. Ora, não partilhando dessa opinião, seremos, necessariamente enganadores, e os médiuns, vulgares charlatães.(...)'' (13)
"Para se compreenderem a causa e o valor das contradições de origem espírita, é preciso estar-se identificado com a natureza do mundo invisível e tê-lo estudado por todas as suas faces. A primeira vista, parecerá talvez estranho que os Espíritos não pensem todos da mesma maneira (...). Supor-lhes igual apreciação das coisas fora imaginá-los todos no mesmo nível, pensar que todos devam ver com justeza fora admitir que todos já chegaram à perfeição, o que não é exato e não o pode ser. desde que se considere que eles não são mais do que a Humanidade despida do envoltório corporal. Podendo manifestar-se Espíritos de todas as categorias, resulta que suas comunicações trazem o cunho da ignorância ou do saber que lhes seja peculiar no momento, o da inferioridade, ou da superioridade moral que alcançaram. (...)" (2)
"(...) Os Espíritos realmente superiores jamais se contradizem e a linguagem de que usam é sempre a mesma, com as mesmas pessoas. Pode, entretanto, diferir, de acordo com as pessoas e os lugares. Cumpre , porém, se atenda a que a contradição, às vezes, é apenas aparente, está mais nas palavras do que nas idéias, porquanto, quem reflita verificará que a idéia fundamental é a mesma. Acresce que mesmo Espirito pode responder diversamente sobre a mesma questão, segundo o grau de adiantamento dos que o evocam, porem sempre convém que todos recebam a mesma resposta, por não estarem todos igualmente adiantados. É exatamente como se uma criança e um sábio fizessem a mesma pergunta. De certo, responderíeis a uma e a outra de modo que te compreendessem e, ficassem satisfeitos. As respostas, nesse caso, embora diferentes seriam fundamentalmente idênticas. " (03)
(*)EMBAIR . Enganar, iludir.
(**) EMBAIDOR . Impostor, enganador, embusteiro. |

SUGESTÕES DE PERGUNTAS A SEREM FORMULADAS AOS DIALOGADORES'
01. Quais são as duas fontes de contradições sobre os ensinos espiritas? (ver "O Livro dos Médiuns" - Item 297).
02. Por que surgiram diversos sistemas interpretativos do fenômeno mediúnico com o advento do Espiritismo? (ver "O Livro dos Médiuns" - Item 36).
03. Quais, e em que se fundamentam os sistemas de negação do fenômeno espirita? (ver "O Livro dos Médiuns" ~ Item 36).
04. Dizer quais são as três categorias de adversários do Espiritismo (ver "O Livro dos Espíritos"; na Conclusão, Item VII).
05. Apontar as contradições oriundas de alguns Espíritos (ver "O Livro dos Médiuns", Itens 298 a 302).
 

A N E X O 02
EXERCÍCIO DE VERIFICAÇÃO DE CONHECIMENTOS

Escreva C para a sentença certa e E para a que julgar errada.

As contradições existentes sobre a reencarnação são conseqüências de um sistema criado, inicialmente, por encarnados interessados em negar esse princípio da Doutrina Espírita.
03. ( ) Os Espíritos superiores jamais se contradizem.
04. ( ) As respostas dos Espíritos superiores e sempre coerente, independente do fato de que estejam falando a um sábio ou a uma pessoa inculta.
05. ( ) Para discernir se uma comunicação ensina a mentira ou a verdade É preciso estudar, comparar e aprofundar o estudo da Doutrina.
06. ( ) A melhor doutrina é aquela que satisfaz apenas as indagações de ordem afetiva.
07. ( ) As contradições sobre os ensinos ditados pelos Espíritos são sempre mais reais que aparentes.
08. ( ) Os adversários do Espiritismo podem estar incluídos nestas três categorias: os que negam sistematicamente, ou incrédulos; os que combatem a Doutrina por interesse pessoal, é os que consideram a moral espírita uma censura muito severa aos seus atos e tendências.
09. ( ) Segundo os que vêem no Espiritismo um sistema de alucinação, os médiuns são loucos.
10. ( ) A explicação dos fenômenos espíritas dada pelos defensores do sistema diabólico é que somente o diabo ou os demônios podem comunicar-se.
 

GABARITO DE RESPOSTAS:
01 - C
02 - E (foram os desencarnados que iniciaram as contradições sobre a reencarnação)
03 - C
04 - C
05 - C
06 - E (a melhor doutrina é a que satisfaz ao sentimento e à razão e a que mais elementos encerra para levar os homens ao bem).
07 - E (as contradições espíritas são mais aparentes do que reais, isto é, mais na forma do que no fundo).
08 - C
09 - E (o sistema que julga os médiuns loucos é o da loucura).
10 - C