Make your own free website on Tripod.com
PROGRAMA V

ROTEIRO 30

DO DESENVOLVIMENTO MEDIÚNICO
SINAIS PRECURSORES DA MEDIUNIDADE: - MEDIUNIDADE COMO PROVA,

OBJETIVOS ESPECÍFICOS.
. Citar sinais precursores da mediunidade.
. Caracterizar a mediunidade de prova.
. Dizer o que é mediunidade improdutiva.

IDÉIAS PRINCIPAIS
"(...) Os sintomas que anunciam a mediunidade variam ao infinito.
Reações emocionais insólitas.
Sensações de enfermidade, só aparente.
Calafrios e mal estar.
Irritações estranhas.
Algumas vezes, aparece sem qualquer sintoma. Espontânea. Exuberante. (...) (04).
A mediunidade "(...) se manifesta nas crianças e nos velhos, em homens e mulheres, quaisquer que sejam o temperamento, o estado de saúde, o grau de desenvolvimento intelectual e moral. (...)'' (013
"Os médiuns, em sua generalidade, não são missionários; (...) são almas que fracassaram desastradamente, (...) e que resgatam, sob o poso de severos compromissos e ilimitadas responsabilidades, o passado obscuro e delituoso. (...~" (06)
~'(...) existem os médiuns com tarefa definida (...). É certo que essas tarefas reclamam sacrifícios e se constituem., muitas vezes, de provações ásperas (...)". 105)
"(...) Há médiuns cuja faculdade não pode produzir senão (...) sinais. São médiuns, mas médiuns improdutivos (...)" (03)
 

FONTES DE CONSULTA.

BÁSlCAS
01. KARDEC, Allan. Da formação dos Médiuns. In:_ . O Livro dos Médiuns. Trad. de Guillon Ribeiro. 45. ed. Rio de Janeiro, FEB, l982. Item 200, p. 237-238. l
02. Op. cit. Item 205, p. 240-241.
03. Op. cit. Item 210, p. 244.

COMPLEMENTARES I
04. PERALVA, Martins. Eclosão Mediúnica. In:_ . Mediunidade e Evolução. Rio de Janeiro, FEB, 1980. p. 19-20.
05. XAVIER, Francisco Cândido. Mediunidade Desenvolvimento. In O Consolador. Pelo Espírito Emmanuel. 7, ed. Rio de Janeiro, FEB, 1977. Questão 383. p. 214. i
06. Mensagem aos Médiuns. In:_ . Emmanuel. Pelo Espirito Emmanuel. 8. ed. Rio de Janeiro, FEB, 1977. p. 66-67.
07. Op. cit. p. 67.
08. Teu tijolo de amor. In:_ . Encontro Marcado. Pelo Espírito Emmanuel. 2. ed. Rio de Janeiro, FEB, 1971. p. 133.
 

A mediunidade, na maioria das vezes, é um dom que o Espirito pede diante da sua necessidade de, quando encarnado, se conscientizar, de forma indelével, de sua condição de Espírito eterno, e como instrumento de agilização de seu progresso espiritual.
E, independentemente de suas próprias convicções, muitas vezes contrárias a essa realidade espiritual, a faculdade mediúnica surge, ampliando a sensibilidade do homem para a percepção do ambiente espiritual que o circunda. E fiel à lei de afinidade que lhe rege o funcionamento, a mediunidade coloca o homem, basicamente, em sintonia com a realidade espiritual afim com o padrão mental e emocional que alimenta.
Em função disso, a mediunidade "(...) se manifesta nas crianças e nos velhos, em homens e mulheres, quaisquer que sejam o temperamento, o estado de saúde, o grau de desenvolvimento intelectual e moral (...)" (01;
Insciente, muitas vezes, dos recursos mediúnicos que carrega, o homem começa a se sentir envolto em problemas o mais das vezes de causas indefinidas como: mal-estar generalizado, desequilíbrio emocional fácil, doenças que surgem e desaparecem sem explicações medicas claras, desentendimento no lar, problemas profissionais os mais diversos e muitas outras formas de desarmonia pessoal, familiar, social e profissional.
~ quando, pressionado pelas circunstancias e sem encontrar solução em outra parte, o homem bate à porta do Centro Espírita, onde deve ser recebido com os mais nobres sentimentos de solidariedade, compreensão, esclarecimento e ajuda.
Geralmente, o principiante espírita deseja saber que tipo de mediunidade possui e um dos recursos que utiliza é informar-se com os Espíritos, através de outros médiuns. Isto nem sempre e uma boa medida: '(...) deve, (...) notar-se que, quando alguém inquire dos Espíritos se é médium ou não, eles quase sempre respondem afirmativamente (...). Isso se explica naturalmente. Desde que se faça ao Espirito uma pergunta de ordem geral, ele responde de modo geral. (...) A esta pergunta vaga: sou médium,? O Espirito pode responder - Sim. A esta outra mais precisa: sou médium escrevente? Pode responder -Não.
Deve também levar-se em conta a natureza do Espírito a quem e feita a pergunta. Há os tão levianos e ignorantes que respondem a torto e a direito, como verdadeiros estúrdios. (...)" (02)
"(...) Os sintomas que anunciam a mediunidade variam ao infinito.
Reações emocionais insólitas.
Sensação de enfermidade, só aparente.
Calafrios e mal-estar.
Irritações estranhas.
Algumas vezes, aparece sem qualquer sintoma. Espontânea. Exuberante. (...)
Paciência, perseverança, boa vontade, humildade, estudo e trabalho são fatores de extrema valia na educação mediúnica.
Ninguém sabe quanto tempo demorará o desenvolvimento.
A paciência ajuda a esperar. (...)" (04)
A tônica, todavia, é a mediunidade vinculada à dor, principal mente no seu início. E isso não é difícil de se compreender uma vez que estamos em um mundo de expiações e provas, habitado por seres encarnados e desencarnados com os quais nos afinizamos e em quem predomina uma forte carga de imperfeições morais tais como a inveja, o ciúme, a malícia, o despeito, a :deslealdade, o ódio, a vingança e tantos outros filhos do orgulho, do egoísmo e da ignorância. São as vibrações decorrentes dessas imperfeições que o médium iniciante, com a sua sensibilidade ampliada, passa a sentir, sem ter, ainda, condições de oferecer a adequada resistência. Somente o trabalho nobre, a perseverança no bem, o estudo sério, a oração e a vigilância Ihes darão os recursos para o gradativo equilíbrio.
"(...) Na atualidade, porem, temos de reconhecer que no campo imenso das potencialidades psíquicas do homem existem os médiuns com tarefa definida, precursores das novas aquisições humanas. É certo que essas tarefas reclamam sacrifícios e se constituem, muitas vezes, de provações ásperas (...).'' (05)
"(...) Os médiuns, em sua generalidade, não são missionários na acepção comum do termo; são almas que fracassaram desastradamente, que contrariaram, sobremaneira, o curso das leis divinas, e que resgatam, sob o peso de severos compromissos e ilimitadas responsabilidades, o passado obscuro e delituoso. (...) são almas arrependidas que procuram arrebanhar todas as felicidades que perderam, reorganizando, com sacrifícios, tudo quanto esfacelaram nos seus instantes de criminosas arbitrariedades e de condenável insânia. (...)" (06)
"(...) As existências dos médiuns, em gera têm constituído romances dolorosos, vidas de amargurosas dificuldades, em razão da necessidade do sofrimento reparador; suas estradas, no mundo, estão repletas de provações, de continências e desventuras. (...)" (07)
Nesses casos a mediunidade não é conquista do Espírito para a eternidade, mas concessão temporária. E os Espíritos superiores a concedem pois sabem tratar-se de um instrumento extremamente valioso, embora difícil e complexo na sua aplicação, que, se bem aproveitado ensejará ao homem a sua mais rápida ascensão espiritual, libertando-se dos débitos acumulados no passado, da ignorância e da maldade, que o tem retido no círculo vicioso da dor durante séculos.
A mediunidade, assim é, para o homem, uma prova muitas vezes dolorosa, mas sempre necessária ao seu enriquecimento espiritual. É o "talento" de que nos fala o Evangelho, cedido como empréstimo para testar no homem a sua capacidade de administração. E, dependendo dessa administração, outros "talentos" maiores e mais nobres poderão lhe ser. também, concedidos, ou, se mal utilizado, mesmo este lhe poderá ser retirado.
Todos somos médiuns, mas nem sempre possuímos uma faculdade o perante, capaz de ser transformada ou caracterizada como mediunidade - tarefa; apesar dos esforço. que envidamos, a nossa faculdade mediúnica pode mostrar-se incipiente. ~ o que Kardec denomina de médiuns improdutivos : (03) quando experimentam a psicografia, mesmo após meses e mais meses de exercícios, obtém-se apenas sinais ou uma ou outra palavra. e experimentam a psicofonia, o Máximo que conseguem são sons ou ruídos abafados. gemidos ou suspiros, não conseguindo nada mais.
Se a pessoa se revela como um médium improdutivo, não deve, por isto mesmo, deixar-se envolver por desânimos; deve abraçar com alegria outras tarefas na seara espírita. Pode continuar freqüentando as reuniões mediúnicas na categoria de médium passista, de doutrinação ou de sustentação.
Devemos compreender que, independente de possuirmos ou não mediunidade produtiva, "(...) O objetivo fundamental de nossa presença, em qualquer estancia do Universo, é o serviço que possamos prestar. (...)" (08)

A N E X O 01 - MÉDIUNS EM TORMENTO.
Guarda a mediunidade, essa gema de inestimável preço, ,nos cofres fortes da conduta reta.
Acompanhando os portadores da abençoada concessão, identificarás tormentos em torno deles, ameaçando-lhes a paz, inquietando-os. Tormentos íntimos que os seguem desde o passado culposo e tormentos de fora com mil faces da sedução.
A mediunidade que enfloresce em tua alma é concessão da Vida ,para regularização dos velhos débitos .para com a vida.
Compulsando o Evangelho de Jesus Cristo, nele encontrarás os médiuns vencidos pelos tormentos, buscando o Mestre. No entanto, a grande maioria por Ele beneficiada, recuperou a paz íntima, calçando as sandálias do serviço edificante, permanecendo, porém, em vigília até o termo da jornada.
Faze o mesmo. Aplica a palavra de carinho sobre a ferida aberta no cerne do companheiro aflito, mesmo que ele se guarde sob as sedas da vaidade; estende os braços. ao passante atribulado, oferecendo-lhe entendimento a todo instante; doa o pensamento superior ao amigo amesquinhado no vendaval das paixões que necessita de amparo e de agasalho; oferece expressões de solidariedade ao homem de mente desalinhada que se deixou abraçar pelos tentáculos poderosos do polvo do crime.
Pelo bem que faças, lentamente sairás do pantanal do desequilíbrio onde o passado te precipitou.
Os tormentos de ontem te seguem hoje os passos pela senda da renovação. Tormentos de agora que surgem examinando a robustez da tua fé, são convites sóbrios para que te libertes e encontres paz. Para resistires, elege a oração do trabalho :como companheiro inseparável da tua instrumentalidade mediúnica, para que os tormentos naturais não encontrem acesso à tua mente, nem guarida no teu coração.
Mediunidade é filtro espiritual de registros especiais.
Opera no bem infatigável em nome do Infatigável Bem e procura, médium que és, caminhando pelas mesmas vicissitudes por onde os outros jornadeiam, compreender todos, mesmo aqueles que parecem felizes e distantes dos teus recursos de auxílio.
Herodíades, a infeliz concubina do Tetrarca, dominada por obsessão cruel, fascinou-se pelo Batista e, repudiada, voltou-se contra ele, tornando-se peça principal no seu infamante assassínio. . . ~
Enquanto 0 Senhor pregava na Sinagoga, um espirito infeliz tomou a boca de um médium atormentado e insultou o Mestre, interrogando:... -"que temos nós contigo"?...
Antes do memorável encontro com o Rabi Afável, a jovem de Magdala portava obsessores lastimáveis que a vinculavam a compromissos cruéis com o sexo.
Angustiado pai busca o Celeste Mensageiro para atender o filho perseguido por um "espírito que o toma, e de repente clama, e o despedaça até espumar"...
Judas, embora a convivência constante com Jesus, guardando investidura medianímica, deixa-se enredar pelas seduções de mentes perturbadas do :Além. . .
Considera a mediunidade como meio de sublimação. -Raros, somente raros médiuns trazem o superior mandato consigo. A quase totalidade, no entanto ... -
O médium falante, cuja boca se enriquece de expressões sublimes, muitas vezes é um coração sensível ligado a compromissos e erros dos quais não se pode libertar; o médium escrevente, por cujas mãos escorrem os pensamentos divinos, compondo páginas .consoladoras, quase sempre caminha sob sombras de angústias interiores, sem forças para colocar a luz; viva do Mestre na mente. turbilhonada; o médium curador, que distende os recursos magnéticos da paz e da saúde e que parece feliz na sua posição socorrista, é, invariavelmente, alma em perigo, entre as injunções de adversários impiedosos do mundo espiritual, que lhe sitiam a casa íntima, apedrejando-o com sofrimentos de todo jaez: o médium que enxerga, através de percepção especial e que surge como abençoado, donatário da mediunidade superior, na maioria das vezes tem os olhos perturbados por visões: cruéis, que retratam os seus dramas íntimos, fugindo de si mesmo, sem forças para continuar: o médium que reflete o pensamento social, em acórdãos, nos tribunais da justiça terrena, ignorando a sua posição de medianeiro entre as forças do bem e o mundo dos homens, pode ser um pobre obsediado pelas mentes vigorosas e vingadoras da Erraticidade inferior....
Apiada-te de quantos passam, oferece o coração, doa a tua prece e agradece a Jesus, o Médium Excelso, a preciosa lição que hoje te clareia os passos, ajudando-te a vencer os tormentos que te impedem o avanço, recordando que "o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas".
Após a leitura do texto, responder às seguintes questões:
01. Por que os médiuns geralmente carreiam, tormentos em torno de si?
02. Em que sentido a mediunidade é oportunidade de evolução
03. Com base no texto lido, diga o que é ser médium.
04. 0 que e mediunidade como prova?
05. De as principais características de mediunidade como prova.
06. Como você classificaria a mediunidade dos personagens citados no texto: produtiva, improdutiva de prova ou sob influência obsessiva ? Justifique sua resposta.
(*) FRANCO, Divaldo Pereira. Dimensões da Verdade. Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis, 2 ed. Salvador, Livraria Espírita "Alvorada" 1977, p. 19-21.

ANEXO 02

ECLOSÃO MEDIÚNICA.
" Isso, entretanto, exige, antes de tudo, paciência e trabalho, responsabilidade e entendimento, atenção e suor " EMMANUEL
O surgimento de faculdade mediúnica não depende de lugar, idade, condição social ou sexo.
Pode surgir na infância, adolescência ou juventude, na idade madura ou na velhice.
Pode revelar-se no Centro Espirita, em casa, em templos de quaisquer denominações religiosas, no materialista.
0s sintomas que anunciam a mediunidade variam ao infinito.
Reações emocionais insólitas.
Sensação de enfermidade, só aparente.
Calafrios e mal-estar.
Irritações estranhas.
Algumas vezes aparece sem qualquer sintoma. Espontânea. Exuberante.
Um botão de rosa (a figura é de Emmanuel) que desabrocha para, no encanto e no perfume de uma rosa, embelezar a vida.
*
Desabrochando, naturalmente, a mediunidade é esse botão tendo por jardineiro o Espiritismo, que cuidará de seu crescimento
*
Paciência, perseverança, boa-vontade, humildade, sinceridade, estudo e trabalho são fatores de extrema valia na educação mediúnica.
Ninguém sabe quanto tempo demorara o desenvolvimento.
A paciência ajuda a esperar. "Sede vos também pacientes, e, fortalecei os vossos corações, pois a vinda do Senhor está próxima." Epístola de Paulo a Tiago.
Tudo no mundo, para crescer bem, pede perseverança. O conselho é de Jesus: "É: na vossa perseverança que ganhareis as vossas almas"
Aquele que persevera é, ao mesmo tempo, pontual e assíduo, dotado de compreensão e responsabilidade.
E os Espíritos Bons são sensíveis a isto.
.Sem boa-vontade nada progride. Fica tudo na estaca zero.
Paulo de Tarso, escrevendo aos Romanos, realça a boa-vontade: "Irmãos, a boa vontade do meu coração e a minha súplica a Deus é a favor deles e para que sejam salvos."
A boa-vontade deve acompanhar o irmão que iniciou o esforço de sua educação mediúnica.
Sem a humildade, o orgulho se apossa de nós.
Expande-se, e com a sua expansão sobrevêm o fracasso, com o cortejo de suas conseqüências.
O Apóstolo dos Gentios, incentivando e orientando os cristãos de Efeso, aconselha-os: " Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis de modo digno da vocação a que fostes chamados, com toda humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros."
A sinceridade, na educação mediúnica, é fator imprescindível.
Tem a palavra mais uma vez, o Apóstolo Paulo: " Porque nós não estamos mercadejando a palavra de Deus, como tantos outros, antes, em Cristo é que falamos na presença de Deus, com sinceridade e da parte do próprio Deus." (II Corintios. )
Os Espíritos não podem levar em boa conta o servidor insincero .
*
Estudo e trabalho formam a base para o desenvolvimento mediúnico, estruturando com segurança, o processo educativo na alma e no coração do companheiro.
O médium que não estuda e não trabalha assemelha-se a uma embarcação;; à deriva, no turbilhão Oceânico.
"Espiritas' Amai-vos, este o primeiro ensinamento; instruívos, este o segundo " ( O Espírito de Verdade)
l ~
Após a leitura do texto, responda às seguintes questões:
01. A eclosão da faculdade mediúnica está presa a algum fator? por que?
02 Cite alguns sintomas que podem estar relacionados com o surgimento da mediunidade.
03. Pode a mediunidade aparecer sem nenhum sintoma? exemplifique.
04. Por que determinados sintomas, tais como irritação, tristeza, mal estar geral, medo, pesadelos, angustia, entre outros, podem estar associados ao desabrochar da mediunidade?
05. Os sintomas apontados na pergunta anterior estão sempre relacionados com a mediunidade? Justifique a sua resposta. ~
06. Por que o estudo e o trabalho formam a base para o desenvolvimento mediúnico?
(*) MARTINS PERALVA. "A. Mediunidade e Evolução. 2. ed. Rio de Janeiro, FEB, 1982. p.19-21.