Make your own free website on Tripod.com
PROGRAMA V

ROTEIRO 31

DO DESENVOLVIMENTO MEDIÚNICO
A EDUCAÇÃO MEDIÚNICA E A EVANGELIZAÇÃO DO MÉDIUM

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Explicar como se pode realizar A educação mediúnica.
Esclarecer a importância da evangelização do médium..

IDÉIAS PRINCIPAIS.
"Nada verdadeiramente importante se adquire sem trabalho (...) Como todas as coisas, a .formação e o exercício da mediunidade encontram dificuldades (...~." (03)
"(...) O médium tem obrigação de estudar muito, observar intensamente e trabalhar em todos os instantes pela sua própria iluminação. (...)" (11)
Resumidamente, a educação da mediunidade se consegue pelo seguinte: . "(...) estudo consciente da Doutrina Espírita (...);"
"(...) a reforma moral do aprendiz e o esforço pela vivência dos ensinamentos evangélicos (...);"
"(...) perseverança no compromisso e o recolhimento intimo (...);"
evitar "(...) impor-se, exigir condições especiais e resultados rápidos que parecem levar à promoção pessoal, ao sucesso, ao relevo e ao aplauso.    (...)"
"(...) A primeira condição para se granjear a benevolência dos bons Espíritos é a humildade, o devotamento, a abnegação, o mais absoluto desinteresse moral e material(...)" (01)
"(...) Mediunismo sem Evangelho é fenômeno sem Amor. (...) ;Mediunismo com Evangelho e Espiritismo é penhor de vitória espiritual, da valorização dos talentos divinos (...)." (07)

FONTES DE CONSULTA.

BÁSICAS
01. KARDEC, Allan. Dai gratuitamente o que gratuitamente recebestes. In: _ . O Evangelho segundo o Espiritismo. Trad. de Guillon Ri beiro. 85. ed. Rio de Janeiro, FEL, i982. Item 08. p. 382.
02. Op. cit., Item 10. p. 383.
,
COMPLEMENTARES
03. DENIS, Léon. Educação e função dos médiuns. In: No Invisível. Trad. de Leopoldo Cirne. 7. ed. Rio de Janeiro, ~B, 1973. p. 60.
04. Op. cit., p. 61.
05. FRANCO, Divaldo Pereira. Educação Mediúnica. In: Terapêutica de Emergência. Por diversos Espíritos. Salvador (Bahia), Livraria Espirita Alvorada, 1983. p. 50-51
06. Op. cit., p. 51.
07. PERALVA, Martins. Evangelho, Espiritismo e Mediunidade. In: Mediunidade e Evolução. Rio de Janeiro, FEB, 1980. p. 17.
08. XAVIER, Francisco Cândido. Médiuns iniciantes. In: . Estude e Viva; Pelo Espírito Emmanuel. 4. ed. Rio de Janeiro, ~B, 1978.
09._. Mediunidade e fenômeno. In: Missionários da Luz. Pelo Espirito André Luiz. 10. ed. Rio de Janeiro, FEB, 1976. p.103.
10._. Mediunidade. Desenvolvimento. In: . O Consolador. Pelo Espírito Emmanuel. 7. ed. Rio de Janeiro, FEB, 1977. Questão 387. p. 215.
11._. Preparação. In: O Consolador. Pelo Espírito Emmanuel. 7. ed. Rio de Janeiro, ~B, 1977. Questão 392. p. 217.
 

A EDUCAÇÃO MEDIÚNICA E A EVANGELIZAÇÃO DO MÉDIUM.
A prática mediúnica envolve em si mesma uma serie de fatores intrínsecos da personalidade do médium, do Espírito comunicante e dos demais participantes da reunião e a manifestação das leis que regem o relacionamento e o comportamento dos que habitam quer o mundo material, quer o mundo espiritual. Assim, tudo que diga respeito ao mundo material, tudo o que diga respeito ao mundo espiritual e tudo que diga respeito ao mundo íntimo dos participantes da reunião, exerce influência na atividade mediúnica. Em outras palavras, tudo o que está em nós e fora de nós influencia a prática mediúnica.
Desta forma, é necessário, não só compreender o fenômeno mediúnico como promover a educação do aprendiz da mediunidade. "(...) Admitido a construções de ordem superior, o médium é convidado ao discernimento e a disciplina, para que se lhe aclarem e aprimorem as faculdades (...).
.Para esse fim, conduzamo-los (os médiuns) a se esclarecerem nos princípios salutares e libertadores da Doutrina Espírita.
Médiuns para fenômenos surgem de toda parte e de todas as posições. Médiuns para a edificação do aprimoramento e da felicidade, entre as criaturas, são apenas aqueles que se fazem autênticos servidores da Humanidade. (...)" (08).
"Nada verdadeiramente importante se adquire sem trabalho. Uma lenta e laboriosa iniciação se impõe aos que buscam os bens superiores. Como todas as coisas, formação e o exercício da mediunidade encontram dificuldades (...)
Uma multidão de Espíritos nos cerca, sempre ávidos de se comunicarem com os homens. Essa multidão e sobretudo composta de almas pouco adiantadas, de Espíritos levianos, algumas vezes maus, que a densidade de seus próprios fluidos conserva presos a Terra. (...) Donde resulta que os principiantes quase nunca obtém senão comunicações sem valor, respostas chocarreiras, triviais, às vezes inconvenientes, que os impacientam e desanimam. (...)" (03)
"(...) Muitas decepções e dissabores seriam evitados se se compreendesse que a mediunidade percorre fases sucessivas, e que no período inicial de desenvolvimento, o médium e sobretudo assistido por Espíritos de ordem inferior, cujos fluidos, ainda impregnados de matéria, se adaptam melhor aos seus e são apropriados a esse trabalho de bosquejo, mais ou menos prolongado, a que toda faculdade está sujeita.
Só mais tarde, quando a faculdade mediúnica, suficientemente desenvolvida, (...) é que os Espíritos elevados podem intervir e utilizá-la para um fim moral e intelectual. (...)" (04)
Com estas afirmativas de Léon Denis não se deve concluir que todos os médiuns, no início do seu trabalho, transmitam obrigatoriamente mensagens de Espíritos inferiores. Se considerarmos tais afirmativas como regra geral, dentro dela, todavia, existem exceções.
Paralelamente ao estudo do Espiritismo, deve o mediam empenhar-se para que ocorra a sua "(...) reforma moral (...) e o esforço pela vivência dos ensinamentos evangélicos numa edificante atividade de socorro fraternal (...)." (05)
Neste sentido é o que nos informa André Luiz em "Os Missionários da Luz ", através das palavras esclarecedoras do venerável Espirito Alexandre: "(...) Mediunidade não é disposição da carne transitória e sim expressão do Espírito imortal. (...) Se aspirais só desenvolvimento superior, abandonai os planos inferiores. Se pretendeis o intercâmbio com os sábios, crescei no conhecimento (...). Se aguardais a companhia sublime dos santos, santificai-vos na luta de cada dia (...). Se desejais a presença dos bons, tornai-vos bondosos por vossa vez. Sem afabilidade e doçura, sem compreensão fraternal e sem atitudes edificantes, não podereis entender os Espíritos afáveis e amigos, elevados e construtivos. (...)" (09)
"(...) A perseverança no compromisso e o recolhimento íntimo, com desapego natural das paixões inferiores e dos artifícios secundários da vida social com suas questiúnculas e condicionamentos, produzem uma liberação das matrizes dos registros psíquicos aos quais se adaptam as tomadas mentais dos Benfeitores desencarnados, estabelecendo-se um seguro intercâmbio (...).(05)
Sendo a mediunidade, em si, neutra refletindo o nível moral de quem a pratica, é justo concluir que a atividade mediúnica espirita deve refletir a moral espirita e sendo a moral espírita a expressão do Evangelho, a prática mediúnica espírita deve ser vivência plena e consciente dos ensinamentos cristãos. É de fundamental importância, assim que todo candidato ao mediunato espirita tenha, entre os primeiros estudos, o estudo do Evangelho à luz da Doutrina Espirita.
É o que observa Emmanuel na questão 387 de seu livro "0 Consolador"(...) A primeira necessidade do médium e evangelizar-se a si mesmo antes de se entregar às grandes tarefas doutrinárias, pois, de outro modo poderá esbarrar sempre com o fantasma do personalismo, em detrimento de sua missão." (10)
"(...) A mediunidade colocada a serviço de Jesus, deve ser adaptada ao programa que se origina no mundo espiritual, tornando o medianeiro dócil e submisso ao trabalho superior, evitando impor-se, exigir condições especiais e resultados rápidos que parecem levar à promoção pessoal, ao sucesso, ao relevo e ao aplauso.
Tenha-se em mente que o trabalho, na mediunidade espirita consciente, ainda é sacrificial, de renuncia e evolução (...)." (06)
"(...) Quem, pois, deseje comunicações serias deve, antes de tudo, pedi-las seriamente e, em seguida, inteirar-se da natureza das simpatias do médium com os seres do mundo espiritual. Ora, a primeira condição para se granjear a benevolência dos bons Espíritos e a humildade, o devotamento, a abnegação, o mais absoluto desinteresse moral e material " (01)
O médium deve evangelizar-se para tornar-se um instrumento de melhoria espiritual, que beneficiará não somente a si próprio mas também os que se encontram a sua volta. "A mediunidade é coisa santa, que deve ser praticada santamente, religiosamente. (...)" (0Z)
"(...) As tarefas mediúnicas pedem assiduidade, pontualidade, fidelidade a Jesus e Kardec (...).
Mediunismo sem Evangelho é fenômeno sem Amor (...).
Mediunismo sem Doutrina Espírita é fenômeno sem esclarecimento.
Mediunismo com Espiritismo, mas sem Evangelho, e realização incompleta.
Mediunismo com Evangelho e sem Espiritismo e, também, realização incompleta.
Mediunismo com Evangelho e Espiritismo é penhor de vitória espiritual, de valorização dos talentos divinos.
Imprescindível, pois, a trilogia Evangelho - Espiritismo - Mediunidade " (07)